Coletivo Carranca e Sensacionalista, juntos na TV Brasil


Hare Brasil, Liliane Reis (TV Brasil), Leonardo Coelho e Raquel Boechat na escadaria do Presidente.

Mídia independente na internet. A mídia é imparcial? Os sites vêm para dar mais diversidade e pluralizar os pontos de vista? Esse foi o papo quente que o Coletivo Carranca teve com Liliane Reis, jornalista e apresentadora do programa Estúdio Móvel, da tevê pública TV Brasil.

 

Assista o programa na íntegra, aqui: http://tvbrasil.ebc.com.br/estudiomovel/episodio/sensacionalista-e-coletivo-carranca-portais-encontram-diferentes-formas-de

 

Nosso encontro foi na “escadaria do Presidente”, a da Câmara dos Vereadores, Cinelândia, onde costumamos marcar quando pedem um ponto de encontro no que seria nossa redação ou escritório, já que “rua e rede”, em algum momento, têm que ganhar a concretude de um lugar para se sentar junto e falar olho no olho. Evoé!

Nos degraus energizados por tantas lutas políticas, Hare Brasil, Leonardo Coelho e Raquel Boechat tiveram um papo ótimo, de cerca de uma hora, gravado em fevereiro, cuja edição do programa, em junho, tivemos a honra de dividir com Leonardo Lanna e Marcelo Zorzanelli, do site Sensacionalista.

O papo correu solto.

“O que mais me atrai (na mídia independente) é que ela não tem uma pauta pré-modelada [...] para trazer o que “eles” querem que você traga. Você vai pra campo e busca “aquilo ali” na organicidade do que está fazendo e chega a alguma conclusão e dá oportunidade das pessoas também chegarem a conclusões.” – Hare Brasil.

“A gente tem que entender que (a “grande mídia”) é uma indústria que depende do financiamento do seu departamento comercial, que obviamente vai estar vinculado a quem tem o dinheiro, que são as indústrias, o mercado do grande varejo, os partidos — via governo federal e governos estaduais –, todos os grandes anunciantes que botam dinheiro na mídia e que sustentam a grande mídia, as grandes emissoras, os salários dos seus funcionários… e ela tem que responder a isso. Por mais que o jornalismo, por regra deontológica, de ética, de toda base teórica que diz que você tem que construir toda e qualquer matéria de uma maneira imparcial – pelo menos 3 fontes com pontos de vista diferentes, etc. –, esse debate é muito profundo sobre a parcialidade ou sobre a imparcialidade – Ela existe? Ela não existe? Eu acredito que existam perspectivas, pontos de vista.” – Raquel Boechat.

“A imparcialidade é um mito” – arrematou Leonardo Lanna.

A exceção do comentário “a independência da independência”, do colega Lanna — o que pelo aspecto do marketing que popularizou a mídia independente, em 2013, entendemos, mas que pela experiência de vida nos reservamos a discordar –, são muitos os pontos em comum entre o Carranca e o Sensacionalista, ao mesmo tempo que trabalhos tão específicos. O principal deles, quem os resume, é Marcelo Zorzanello.

“Quem nós somos e o que nós somos enquanto seres humanos influencia nossa linha editorial, mas nós temos uma postura progressista muito bem definida: a gente é a favor do casamento homossexual, a gente abomina qualquer tipo de racismo, xenofobia, sexismo; e a gente vai atrás dessas pautas. O que estiver na declaração dos direitos humanos já faz a gente ser parcial.”.

Que sigamos tantos outros Sensacionalistas, Carrancas e Estúdios Móveis desconcentrando os pontos de vista, como bem colocou Leonardo Coelho nos bastidores dessa deliciosa entrevista. Foi inesperado esse encontro e uma honra o convite.

Um dos próximos entrevistados da temporada será o artista plástico, escritor e Carranca, Alex Frechette.

Alex Frechette no estúdio do Estúdio Móvel, com Liliane Reis. Programa ainda inédito.

Alex Frechette no estúdio do Estúdio Móvel, com Liliane Reis. Programa ainda inédito.

Compartilhar artigo

Loading Facebook Comments ...